Onipotentes Contemporâneos ─ #Anônimos

Nossa sociedade evoluiu para um ponto onde os limites se tornam cada vez mais inexistentes – ou, pelo menos, ignorados. Ninguém mais aceita seguir nenhuma regra, seja ela qual for. Prédios, praças, templos: tudo está se tornando uma selva. Essa sede do ser humano pela liberdade absoluta acabará acelerando seu passo para a extinção. Nada mais é respeitado, nada mais é seguido. Regras, leis, acordos, sugestões: nada mais tem valor. Nossa moeda agora é a liberdade. A incoerente liberdade. A liberdade que tira liberdades.

Obedecer regras hoje se tornou sinônimo de submissão, fraqueza. Por todos os cantos estão os senhores, os deuses atemporais intocáveis que não podem seguir regras, apenas impô-las.É proibido fumar em determinados locais. Não. Para eles, não. Eles podem tudo, estão acima de todos. Dirigir enquanto fala no celular também é proibido. Na verdade, para eles, também não é. Usar o celular enquanto dirige pode aumentar a chance de causar um acidente. Ah, mas não podemos esquecer que eles estão acima da barreira dos limites humanos: eles não cometem erros. Beber e dirigir? Pode. Eles podem. Mesmo correndo o risco de ceifar a vida de outros.

Compartilhe este artigo:

João A. tem trinta e quatro anos, é natural de Anonimópolis e atualmente reside em Rio Anônimo do Sul. É pai de um lindo garoto de sete anos de idade, o Anoniminho, e trabalha como Gerente de Anonimato. Nas horas vagas., gosta de jogar sinuca, nadar, escrever e assistir aos jogos do Anônimos Futebol Clube.