O Príncipe, por Nicolau Maquiavel

Eu particularmente levei um bom tempo para concluir a leitura deste livro. Não pelo fato de se tratar de um livro chato, e sim pela edição que li. Foi uma edição com comentários de Napoleão Bonaparte e Cristina da Suécia. E isso foi o que tornou o livro um pouco cansativo para mim. Depois de certo ponto passei a ignorar os comentários, que na maioria das vezes eram completamente irrelevantes, e isso me fez ler de forma mais acelerada.

O Príncipe

29917757Eu posso dizer com segurança que, apesar de ter sido escrito há séculos, todos os conceitos, relações, conclusões e teorias continuam extremamente atuais. Eu pude relacionar vários capítulos do livro com a atual situação política do Brasil, e com inúmeras outras manobras políticas relacionadas a vários países que pude ter conhecimento.

No livro nós somos apresentados a vários conceitos necessários para governar. Ele ilustra como um príncipe deve agir em momentos de glória, derrota, dúvida. Apresenta inúmeras abordagens aos problemas que podem surgir durante um principado. Expõe as implicações relacionadas a determinadas atitudes. Critica atitudes imprudentes e indica uma vastidão de instruções.

Para boa parte dos estudantes de direito e adeptos, o livro pode se mostrar de uma riqueza didática incontestável. O mesmo vale para estudantes de Ciências Políticas e áreas relacionadas. Nesses casos, a leitura é indispensável.

O livro pode não ser tão interessante para pessoas ─ como eu ─ que não estejam em nenhuma dessas áreas citadas. No entanto, a qualidade da obra é excelente.

Não é nada fácil resenhar este livro. Por esse motivo optei por apenas comentar, de forma não tão profunda. Até porque faz algum tempo que li, e o conteúdo do livro não está tão presente na minha cabeça no momento.

Natural de Salvador, Manlei Santeoni tem 25 anos de idade, é apaixonado por literatura, filosofia e uma boa música. Escreve para a internet há alguns anos e é aficionado por cadernos ─ onde a maioria de seus textos é iniciada. Junto com sua paixão pela música e pela natureza, Santeoni também é contador de histórias, e seu primeiro livro a ser publicado já está em produção. Adicionada a tudo isso está a sua alta estima pela Língua Portuguesa ─ principalmente quando bem falada e bem escrita.

Site Footer